A estrear, eventualmente, em grandes ecrãs neste ano…

A pandemia originária da China alterou e prejudicou gravemente muitas áreas de actividade, para além das vidas quotidianas de muitos milhões de pessoas, e a produção e exibição cinematográficas foi uma dessas áreas. 2020 foi, pois, um mau, quiçá péssimo, ano para todos os amantes da dita sétima arte e, em especial, para os daquela que privilegiam a ficção científica e a fantasia.

Uma grande e honrosa excepção foi «Tenet», de Christopher Nolan, que arriscou, e corajosamente, uma estreia no ano passado em grandes ecrãs numa escala global, embora os resultados financeiros, previsivelmente, não tenham sido tão elevados quanto os dos filmes anteriores daquele realizador. Também não foi imprevisível que, mais uma vez, Nolan e um seu trabalho tenham sido, na prática, desvalorizados, desprezados, discriminados por uma cada vez mais descredibilizada – e isto ainda antes de ela aplicar, a partir de 2024, absurdas e até distópicas quotas raciais – Academia das Artes e das Ciências Cinematográficas de Hollywood: de facto, «Tenet» só recebeu duas nomeações para os Óscares deste ano, nas categorias de efeitos visuais e de desenho de produção.      

Para 2021 estão previstas as estreias de vários filmes no género FC &F, tendo alguns deles estado inclusivamente previstos para serem lançados no ano passado. São de destacar: «Antlers»; «Black Widow»; «Chaos Walking»; «Dune»; «Eternals»; «Free Guy»; «Ghostbusters – Afterlife»; «Godzilla Vs. Kong»; «Infinite»; «Mortal Kombat»; «Stowaway»; «The Green Knight»; «The Matrix 4» (título provisório, não necessariamente o definitivo); «The Suicide Squad»; «The Tomorrow War»; «Venom – Let There Be Carnage»; «Voyagers».

%d bloggers like this: